escorrendo

o cachorro fareja meu ódio
e meu desprezo
escorrendo lenta e diretamente
da sacada do quarto 103
para a calçada

uma boa fungada
com o pescoço bem disposto
narinas bem abertas
são segundos
antes que atravesse a rua
desatinado, e seja despedaçado
por um caminhão carregado
em toneladas de momentos
jamais esquecidos

foi a última vez para ele
eu lamento novamente e continuo
escorrendo aos montes, morrendo
aos poucos.

Deixe uma resposta