tarde quente

enjoado das moscas da casa
fui para o bar no meio da tarde
e logo depois de pedir
minha cerveja, à avistei;
essa adorável senhora
de uns 73 anos..
eu a fiquei encarando por horas,
imaginando o que faria
quando chegasse a essa idade
fiquei pensando com quem treparia
e se ainda treparia,
fiquei pensando
um milhão de outras merdas,
até que ela se levantou
veio em minha direção
e se sentou junto a mim.
não disse nada,
apenas encheu meu copo
com sua cerveja
e assim permanecemos,
em silencio, bebendo
como dois cúmplices da morte.
bebi toda cerveja, ela encheu
novamente o copo que esvaziei
e assim a cena se repetiu
por vezes.. até o momento
em que eu não estava mais
bem certo de muita coisa
e me levantei para ir ao banheiro.
ela veio atrás. eu estava exausto
demais para me virar
e pedir que não
me acompanhasse.
entrei no banheiro e ela entrou
logo atrás.. não liguei.
abri a braguilha e comecei
a mijar.. mal havia começado
quando senti suas pequenas
e enrugadas mãos
em cima do meu pau.. tudo bem,
tudo bem, pensei..
larguei em suas mãos
e continuei mijando..
mijei por alguns minutos,
sem problemas.. digamos que ela
segurava bem, apesar da idade..
terminei de mijar.. ela chacoalhou
com experiência que não havia
de faltar.. eu me virei e me sentei
na privada encardida.. ela se ajoelhou
no piso imundo do banheiro
e fez questão de tirar toda minha calça
antes de se jogar de boca..
com movimentos pesados e quentes
luxos de uma boca já quase
sem dentes. eu pouco liguei,
estava tão distante de tudo e todos
que apenas fechei os olhos
e me recolhi em meu canto..
pensei em todos os pombos
de asas quebradas,
nos cachorros abandonados, presos
em suas coleiras no meio do nada
sem comida e no cio,
lembrei das mulheres
que me rejeitaram e das poucas
que rejeitei.. das mulheres que desejei
mesmo que uma única vez,
até que voltando a mim
no calor das emoções humanas
enchi sua boca com minha porra
quente e vermelha que ela
fez questão de engolir.
em seguida me beijou na boca
e foi embora sem dizer uma única
abóbora..
depois disso,
nunca mais a vi.
mas ela me marcou
com a esperança de que dias
melhores podem vir
assim, em qualquer tarde,
em qualquer
idade.