Girino

Estradas pintadas com fibras de gelo
Escorrendo em tromboses simbióticas
Entre trombetas perpendiculares menores que um grão de amnésia
Uma geração que parece sêmen de neném
Incapaz de cagar pelo menos meio quilo por dia
Naufragados e sedutores
Fomos pegos pelas ancas
E gememos em sincronia
Na batida do diagnóstico atemporal
Pobres criaturas com pingos de giz
Silhuetas sem contorno atravessando corações
Como flechas de aspirina
Perguntaram para um homem:
“O que é sexo oral?”
“De hora em hora”
“E sexo anal?”
“De ano em ano”
O produto, o viaduto, a vida em espera
Data definida
Morrer é mais lucrativo que viver
Agonizar é luxo
Um tiro na cabeça é moda
Uma corda no pescoço é ultraje
Caminhamos como um curupira tonto
Para um fim ou para um começo?
É preciso antes acreditar no homem
Para depois acreditar na política
É preciso desconfiar muito de Deus
Para ir à igreja;
Temo por essa coceira
Invasiva e invisível
Expulsando
Depois congelando
Serei um coito coitado
Um tipo ejaculado na boca do jacaré
Essa coceira, essa coceira
Já me vejo usando guarda-chuva
Em dias de sol
Pior
Já me vejo tendo um guarda-chuva
Perverso
Perverso é o soluço
Que some após estabilizar o ritmo
Soluços e coceira
Perpétuos
Prisões fazem homens chorar
A bebida também
E os crocodilos choram com água na boca
E as mulheres porque soluçam e se coçam
Mais que um bêbado na feira de pulgas
Por isso temo
Essa coceira, essa coceira
Tenho vergões
Preocupo-me
Não quero me tornar um servidor
Que precisa da arte para se redimir
Kafka soube disso
Tornou-se grilo pra respirar
Coço, coço, soluço
Ainda tenho tempo
Ainda….

Um comentário sobre “Girino

  1. Boa tarde.
    Entre coceiras, soluços e gemidos,
    consegui a contento, ler seu poema indefinido.
    Desconexo, porem, atrativo, criativo.
    Me vi entre seus personagens numa frenética
    e dolorida coceira, onde a cada gemido,
    terminava num estrondo do soluço, orquestrado
    pelos gritos não dado, das donzelas e damas
    querendo oral a todo segundo…
    Ps: Não resisti e interagi. Parabéns!! Bem original, amodorei te ler.
    Estou aqui, com vários soluços incontidos e risos descontrolados… rsrsrs – Abraços

Os comentários estão desativados.