Tontos

O que é a vida?
A vida é um penico que aos poucos vai se enchendo de merda, e a morte nada mais é que uma empregada desinfetando inúmeros penicos por dia
Não perguntei sobre a morte
Não consigo relacionar vida com outra coisa. Consegue?
Consigo esquecer que uma existe
E sempre esquece a mais fácil de lembrar?
Esqueço a que menos me faz falta
Como pode saber disso se só tem uma por enquanto?
O que é a vida?
A vida é um penico cheio de flores, e a morte uma empregada que retira um punhado delas todos os dias, quando seca o penico, ela lava com esponja e expurga o cheiro doce
Meigo
Bicha
Poético
Poesia é rimar um nome russo com abacate
Fácil
Poesia é um palíndromo árabe
Fácil
Poesia é cagar num penico de pau duro
Com flores é poético, sem flores é fácil
Misturar flores com merda não é poético, é cagar no cemitério
Mas meu denominador comum é o pau duro, não a mistura
Cagar de pau duro em um cemitério é poesia, de pau mole não
De pau duro é poesia, de pau mole é fácil
Voltamos pro penico bicha
Poético
Qual a próxima pergunta?
O que é a vida?
A vida é um penico furado cheio de flores e merda, a morte uma empregada que finalmente ergue o dito e deixa que os outros interpretem a sujeira
Absorvendo
Esponjas, sempre com um lado sujo pra absorver
E limpar
O que é a vida pra você?
Um pepino
No penico ou no cemitério?
Em qualquer lugar
Como assim?
A vida é um pepino, fácil de descascar e bom de comer
Desconhece meu pepino
Desconhece o meu
O que é a morte pra você?
O que é a vida pra você?
O fim
O fim

2 comentários sobre “Tontos

  1. Este poema me dá uma certa nostalgia, volto à infância e imagino os penicos cheios de merda da minha avó.

Os comentários estão desativados.